Trabalho híbrido Trabalho remoto

LinkedIn diz que a maioria dos funcionários pode trabalhar em casa para sempre

A maioria dos 16.000 funcionários do LinkedIn terão permissão para trabalhar remotamente em tempo integral, disse a empresa, em uma reversão de sua política anterior.

BoxOffice
02/09/21

Freepik/Master1305

No entanto, os trabalhadores que se mudarem de cidades como São Francisco e Nova York para locais mais baratos podem ter seu pagamento reduzido com base nas taxas do mercado local, disse a empresa à Reuters.

O LinkedIn - que é propriedade da Microsoft - havia dito anteriormente em outubro do ano passado que esperava que os funcionários trabalhassem no escritório pelo menos 50% do tempo depois que as restrições do coronavírus fossem suspensas.

“Prevemos que veremos definitivamente mais funcionários remotos do que vimos antes da pandemia”, disse a diretora de pessoal do LinkedIn, Teuila Hanson.

A notícia chega enquanto empresas de tecnologia e seus funcionários discutem sobre regras de trabalho remoto. A Apple disse aos funcionários que eles serão obrigados a trabalhar pessoalmente pelo menos três dias por semana, embora tenham adiado o prazo de retorno ao escritório até pelo menos outubro em meio ao atual aumento de casos de coronavírus.

Essa medida encontrou resistência por parte de alguns funcionários da Apple, que entregaram uma carta ameaçando pedir demissão caso fossem obrigados a comparecer ao trabalho.

Outras empresas de tecnologia, incluindo Twitter e Facebook, disseram que muitos funcionários são bem-vindos para trabalhar remotamente para sempre - embora o Facebook, como o LinkedIn, planeje reduzir os salários dos funcionários que deixam o Vale do Silício por áreas mais baratas.

O Facebook e o Google também disseram aos funcionários que seriam obrigados a ser vacinados quando retornassem ao escritório. O LinkedIn, por outro lado, não está exigindo que os funcionários que desejam voltar ao escritório sejam vacinados.

Fonte: NY Post